A silvicultura e a água: ciência, dogmas, desafios

Prof. Walter de Paula Lima, junho de 2010

Apresentação

Esta publicação organizada pelo Diálogo Florestal, de autoria do Professor Walter de Paula Lima, é uma valiosa análise e reflexão sobre dois temas atuais e extremamente importantes para a Mata Atlântica e outros biomas brasileiros: o manejo florestal e suas implicações no uso e conservação da água doce; e a ocupação e manejo integrado do território.O autor apresenta de forma didática as bases científicas sobre esses temas, nos proporcionando maior clareza dos desafios que essa abordagem necessita.

No contexto das estratégias para o uso e conservação da biodiversidade no Brasil, especialmente na Mata Atlântica, um dos temas integradores de maior destaque refere-se à conservação da água doce ou águas interiores. Inegavelmente, em diversas regiões do país, mas especialmente na Mata Atlântica, onde vivem cerca de 70% da população brasileira, já se manifestam limitações e demandas conflitantes no abastecimento de água doce para consumo doméstico, industrial e agrícola, fato que suscita discussões e ações para a proteção, recuperação e uso racional dos recursos hídricos.

Dado o papel das florestas e outras formações naturais na conservação dos recursos hídricos que, em diferentes graus, influencia a quantidade, qualidade e constância do suprimento de água doce, evidencia-se ainda mais a importância de um Forum como o Diálogo Florestal, ao somar forças e propósitos para inovar e buscar novos padrões de desenvolvimento. As análises aqui apresentadas certamente serão incorporadas nas discussões estratégias do Diálogo Florestal e dos seus Foruns Regionais que têm enfatizado a importância de embasar as ações e compromissos assumidos por seus membros, através de uma sólida contribuição da ciência e do aprendizado e da vivência no campo.

A geração e sistematização de informações dessa natureza são essenciais para avançarmos em mecanismos e abordagens tão necessários para expandir os esforços de conservação e a sustentabilidade de áreas estratégicas para manutenção dos ecossistemas naturais aliados as atividades econômicas e ao bem estar humano. Nossa expectativa, portanto, é que essa publicação venha contribuir para a melhoria da qualidade e quantidade de ações não só do Diálogo Florestal, mas de todos aqueles interessados no desenvolvimento sustentável no Brasil. Boa leitura!

Luiz Paulo Pinto
Diretor do Programa Mata Atlântica Conservação Internacional

José Luciano Duarte Penido
Presidente do Conselho de administração da Fibria

[ Cadernos do Diálogo - Volume 1 - A silvicultura e a Água - Arquivo PDF (8.107kb) ]




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.