logo_express.jpg

Edição 32 – 14 de julho de 2011_

PCCF participa de Assembléia Geral do FSC na Malásia e consegue resultados significativos

Foi realizada no período de 25 de junho a 01 de julho, em Kota Kinabalu na Malásia, a Assembléia Geral do FSC, que contou com a participação de uma comitiva brasileira composta por representantes de empresas privadas, órgãos certificadores, membros individuais e organizações não governamentais, além da coordenadora técnica do PCCF (Programa Cooperativo de Certificação Florestal), Luciana Rocha Antunes, representando o IPEF. A Assembléia, realizada a cada três anos, é o mais alto nível de decisão no sistema FSC, e é onde os rumos desta certificação são traçados. Nesta reunião, os membros das câmaras setoriais do FSC (ambiental, social e econômica) discutem idéias, propostas e tomam decisões a respeito do futuro da sustentabilidade das florestas, e da população que interage com elas, a nível mundial.

Para dar suporte a estas discussões, os interesses das três câmaras são debatidos durante os cinco primeiros dias da Assembléia, onde foram realizadas reuniões intra e entre câmaras. Neste período acontecem os chamados “side meetings”, onde são expostos argumentos a respeito de um certo aspecto que será debatido durante a Assembléia. O IPEF, através do PCCF e com o apoio da Bracelpa, organizou um “side meeting” a respeito do setor de florestas plantadas no Brasil. Com a apresentação do Prof. José Luiz Stape (NCSU), e com o título “Current and Future Technologies in Forest Plantations”, esta reunião contou com a participação de 56 pessoas interessadas no tema, e deu base científica para as votações que viriam a seguir.

No dia 30 de junho, iniciaram as votações das moções apresentadas pelas três câmaras setoriais, as quais visam alterar aspectos na certificação FSC no mundo. O IPEF apresentou duas moções, sendo que a primeira, chamada “The need to investigate the current status of GMO science in forestry, aiming to identify risks, benefits and safeguards from environmental, social and economical grounds” infelizmente não foi aprovada, pois o tema sobre organismos geneticamente modificados ainda sofre muita resistência nas câmaras ambiental e social. Já a segunda moção, chamada “Insertion of Environmental Risk Assessment in FSC Pesticides Policy”, a respeito de produtos pesticidas utilizados em plantios florestais, foi unida com uma outra chamada “Derogation procedures and national initiatives”, sobre o mesmo tema, e foi aprovada com sucesso pela Assembléia.

DSCN2092.JPG
Votações das moções na Assembléia Geral do FSC

Para Luciana, “foi muito importante a participação efetiva da comitiva brasileira da câmara econômica, foi primeira vez que isso aconteceu, participando desse processo de decisão dentro do sistema”. Do total de 56 moções apresentadas na Assembléia Geral do FSC, 19 foram retiradas, e das 37 restantes, 27 foram aprovadas. “A tentativa de que o sistema mude para melhor, para o setor florestal, em especial o brasileiro, só pode acontecer se houver cada vez mais a participação das organizações brasileiras, como o visto nesta ultima assembléia. Estamos aprendendo a lição!”, completa. Um relatório completo das atividades e das moções apresentadas na Assembléia será disponibilizado em breve pelo PCCF, no site do IPEF.

Publicado exclusivamente via eletrônica, o IPEF Express não possui periodicidade definida e visa agilizar a divulgação de notas e informações da Diretoria, Coordenadorias do IPEF, seus Programas Cooperativos e atividades correlatas.


Acompanhe as ações do IPEF no Twitter

Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
http://www.ipef.br - ipef@ipef.br
Copyright 2009 IPEF. Reprodução permitida desde que citada a fonte.