logo_express.jpg

Edição 45 – 25 de maio de 2012_

IPEF Monte Alegre é considerado
um importante refúgio para fauna

Foi finalizado, em abril, o relatório das atividades do monitoramento populacional de capivaras, realizado de maio de 2011 a março de 2012, no IPEF Monte Alegre e entorno. O estudo, realizado pelo bolsista Alex Augusto de Abreu Bovo (acadêmico do Curso de Ciências Biológicas da Esalq/USP) e orientado pela professora Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros Ferraz (do Departamento de Ciências Florestais – LCF/Esalq/USP - e coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Ecologia e Impactos Ambientais – GEPEIA), totalizou 112 horas de observação em 57 dias de campo, onde foram realizadas 48 contagens de indivíduos no açude do IPEF no período do dia no qual é esperado o inicio das atividades de forrageio das capivaras (16 e 19 horas).

Juntamente com o monitoramento de capivaras, foram feitos registros de aves (avifauna) e mamíferos (mastofauna) no local, através de avistamentos, registros sonoros (aves), pegadas e fotos (mamíferos). Esses registros têm como objetivo elevar o conhecimento sobre a fauna, já que o local aparentemente funciona como um importante refúgio de fauna e área de invernada para algumas espécies, tais como a águia-pescadora (Pandion haliaetus) e o maçarico-de-pernas-amarelas (Tringa flavipes), estas visitantes do hemisfério norte e que não foram visualizadas em nenhum outro açude no entorno. Além destas, outras espécies interessantes como o cabeça-seca (Mycteria americana), o colhereiro (Platalea ajaja), a garça-azul (Egretta caerulea), o veado-catingueiro (Mazama gouazoubira) e o gato-mourisco (Puma yagouaroundi) podem ser igualmente observadas na área, totalizando 12 espécies de mamíferos e 103 de aves.

imagem.jpg
Algumas das espécies visualizadas no açude do IPEF Monte Alegre

A área do IPEF Monte Alegre pode ser considerada um importante refúgio de biodiversidade devido à comunidade de aves e mamíferos de médio e grande porte presentes, com significativa diversidade e de grande interesse biológico”, explica Katia. Cabe destacar que esta área foi recentemente restaurada através do plantio de vegetação nativa, apresentando-se hoje como uma área com forte potencial para atração da fauna. Resta saber o potencial da área em sustentar populações dessas espécies a médio e longo prazo, objetivo que será avaliado com a continuidade do estudo.

Publicado exclusivamente via eletrônica, o IPEF Express não possui periodicidade definida e visa agilizar a divulgação de notas e informações da Diretoria, Coordenadorias do IPEF, seus Programas Cooperativos e atividades correlatas.


Acompanhe as ações do IPEF no Twitter

Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
http://www.ipef.br - ipef@ipef.br
Copyright 2009 IPEF. Reprodução permitida desde que citada a fonte.