logo_express.jpg

Edição 101 – 01 de fevereiro de 2018_

Artigo “Zoneamento climático do Brasil”
supera as 1000 citações acadêmicas

Há 4 anos, pesquisadores do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF), da Forest Productivity Cooperative (FPC), da Universidade de São Paulo (USP) e da North Carolina State University (NCSU), publicavam o artigo “Köppen's climate classification map for Brazil” na tradicional revista de meteorologia alemã Meteorologische Zeitschrift, na qual o próprio Köppen publicou seu trabalho em 1884. Neste estudo, os autores Clayton Alcarde Alvares e José Luiz Stape (IPEF e NCSU), Paulo César Sentelhas, José Leonardo de Moraes Gonçalves e Gerd Sparovek (Esalq/USP), desenvolveram um sistema de informação geográfica para identificar os tipos climáticos no Brasil com base na temperatura e precipitação mensal de 2.950 estações meteorológicas, fornecidas pelo INMET e outras instituições, assegurando a perfeita reprodução dos critérios que definem cada um dos tipos climáticos. O produto final foi um mapa detalhado da classificação climática na resolução de 1 hectare para todo território brasileiro, disponibilizado no site do IPEF (www.ipef.br/geodatabase).


Mapa do trabalho original de Köppen de 1884

O novo zoneamento vem se tornando referência na definição dos tipos climáticos do Brasil, notadamente nas áreas de pesquisa das engenharias florestal, agronômica e agrícola, ecologia, botânica, geografia e hidrologia. Além disso, surpreendentemente, outros campos da ciência adotaram a referência do zoneamento climático em seus trabalhos nas áreas da medicina, saúde coletiva e epidemiologia, odontologia, medicina veterinária, engenharias civil, sanitária e mecânica, arquitetura, demografia e antropologia, arqueologia e zoologia.


Mapa com o novo zoneamento publicado em 2014

Dado tal espectro de aplicação, o artigo já superou 1.000 citações científicas no mundo pelo levantamento da Google Scholar Metrics, sendo que o Editor-in-Chief da Meteorologische Zeitschrift, prof. Stefan Emeis, informou que o trabalho assumiu a posição de segundo artigo mais citado da revista nos últimos 25 anos, quando se iniciou o ranking. A revista quantifica suas citações com base no Web of Science, a qual aponta mais de 400 citações e posiciona o artigo entre os “top 1% mais citados no campo acadêmico de GeoSciences”.

Segundo Clayton, “é grande a satisfação vermos os resultados já alcançados deste trabalho e sua contribuição à ciência nacional e internacional. Dois pontos extremamente positivos para atingirmos esse número de citações e popularidade na comunidade científica foram a escolha de publicar o artigo com livre acesso e disponibilizar o mapa do zoneamento climático pelo site do IPEF”.

Publicado exclusivamente via eletrônica, o IPEF Express não possui periodicidade definida e visa agilizar a divulgação de notas e informações da Diretoria, Coordenadorias do IPEF, seus Programas Cooperativos e atividades correlatas.

Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
http://www.ipef.br
Copyright 2009 IPEF. Reprodução permitida desde que citada a fonte.